A vida em múltiplas dimensões

A natureza multidimensional da consciência (também conhecida como princípio inteligente, alma ou espírito) fica em evidência durante o fenômeno da experiência fora do corpo (projeção da consciência), quando ela pode se manifestar de forma lúcida em outras dimensões de espaço-tempo, além da dimensão física que conhecemos. Nessas dimensões empregamos corpos não físicos os quais constituem um conjunto de veículos de manifestação da consciência.
Em outras dimensões ou realidades, a consciência interage com consciências e com o ambiente por meio das bioenergias, interferindo e sofrendo interferências. Nessa condição, nossas habilidades além dos cinco sentidos físicos aparecem e as nossas percepções se ampliam consideravelmente.
A vida é muito complexa, prova disso é que nas relações cotidianas encontramos dificuldades em lidar com o nosso grupo familiar, de amigos e de trabalho. Se já percebemos as energias, nos tornamos sensíveis a pessoas, ambientes e objetos. E a projeção consciente é uma das ferramentas mais eficientes para nos mostrar essas realidades, de constituição diferente da materialidade a qual estamos habituados.
O paradigma consciencial adotado pela Conscienciologia e Projeciologia é centrado na manifestação da consciência (princípio inteligente ou nossa parte não material) e admite a existência de quatro veículos ou corpos que possibilitam sua manifestação: o corpo humano ou soma; o corpo energético ou energossoma; o corpo emocional ou psicossoma e o corpo das idéias, ou mentalsoma.
Cada um desses corpos é adequado para manifestar-se em dimensão existencial específica. Quando estamos acordados na dimensão física os corpos estão coincidentes, cada um vibrando em sua frequência, encaixados e coexistindo em harmonia. Em determinadas condições podem dissociar-se, gerando a descoincidência e, a partir dela, a projeção da consciência.
Não há perigos em sair do corpo, sendo que boa parte de nós tem pelo menos uma vez a cada noite uma experiência fora do corpo durante o sono, mesmo que inconsciente. O medo é comum nesses casos e seu domínio passa pelo entendimento dos processos bioenergéticos e pelo esclarecimento de que as experiências projetivas nos permitem visitar outras dimensões e, com isso, perder o temor da morte e outros medos que costumam assombrar e frustrar descobertas multidimensionais.
Ao sair do corpo temos relações de proximidade de acordo com as nossas frequências vibratórias. Podemos ver e tocar nosso corpo (autocontemplação), encontrar pessoas projetadas e pessoas que já morreram, entre outras experiências. É comum a pacientes sobreviventes de morte clínica relatos de vivenciar outras dimensões.  Este fenômeno aparece em várias culturas ao longo da história da humanidade.
Profundas alterações comportamentais ocorrem com quem experimenta, vivencia e rememora uma experiência multidimensional. A tendência é que o experimentador, uma vez que reconheça a vivência, mude para melhor, passe a dar mais valor para a vida com respeito aos demais e revisar sua existência atual. É o que chamamos de reciclagem existencial.
A Projeciologia, nascida no Brasil a partir do trabalho do médico, pesquisador e projetor experiente, Waldo Vieira, tem sido a mais expressiva contribuição no estudo dos fenômenos projetivos ou das vivências em outras dimensões. Além do pioneirismo de uma proposta para esse campo instigante da pesquisa, tem organização e metodologia científica para o estudo das várias dimensões e veio preencher a lacuna existente nesta área de pesquisa.

*Tânia Santos é esteticista e professora do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), instituição de educação e pesquisa científica, laica, sem fins lucrativos.