Humor sadio como ferramenta evolutiva

O homem é o único animal que ri voluntariamente. Apesar de variar entre os indivíduos, osenso de humor pode ser um elemento de compreensão de culturas e costumes das sociedades. A manifestação mais reconhecida de quem tem senso de humor é o riso, embora um não seja necessariamente sinônimo do outro. O riso do deboche não tem relação com o bom humor, principalmente se consideradas as trocas energéticas naturais entre os indivíduos.

A professora Malu Balona faz referências aos efeitos de situações de riso que têm como pano de fundo uma relação de troca de energias de padrão doentio. “A assimilação negativa e o vampirismo energético também acontecem através do riso, principalmente quando o humor é negro” (Balona, Malu; Autocura através da Reconciliação; Livro; Rio de Janeiro; RJ; 2003; página 151). Basta perceber que muitos humoristas e contadores de piadas não são pessoas felizes, pelo contrário, costumam ser carentes e amargurados em sua intimidade.

Diferente do senso comum, o humor sadio a que nos reportamos aqui não tem relação com o riso escrachado, o deboche ou a apelação da piada picante. O estado de humor positivo para o equilíbrio do indivíduo é aquele que reflete o bem estar pessoal, a satisfação íntima, a felicidade interior, aspectos que geralmente não aparecem na maioria das demonstrações de ‘bom humor’ com as quais nos deparamos no cotidiano. O humor sadio é um traço do indivíduo desenvolvido ao longo de sua trajetória evolutiva assim como tantos outros, à exemplo da persistência ou criatividade. Um estado saudável de bom humor é aquele em que a manifestação de bem estar e alegria não se dá unicamente pelo riso, mas pela postura em cultivar estado de ânimo positivo permanente. A disposição para a manifestação a partir de uma atitude bem humorada transparece na energia do indivíduo, conferindo-lhe uma aura de equilíbrio e harmonia.

O mau humor como um comportamento padrão é sinal de que algo precisa ser revisto. Pode indicar problemas relacionados ao corpo físico, tais como tensão pré-menstrual (TPM) ou distúrbios hormonais na mulher, a deficiência de nutrientes devido a uma alimentação incorreta ou mesmo a falta de sono. O estresse ou a síndrome da pressa da contemporaneidade também dificultam a manutenção de um humor saudável. É necessário considerar ainda as doenças e as manifestações neuroniais que interferem no estado de ânimo do indivíduo.

Porém, a causa do mau humor muitas vezes está associada a fatores internos, aspectos como a falta de domínio emocional ou as patologias do pensamento. Entre as manifestações geradoras do mau humor está o distanciamento do indivíduo de sua programação de vida, o que gera uma sensação de melancolia permanente, de insatisfação e incompletismo. A manutenção de um estado de ânimo permanente está ligada às bioenergias, ou às trocas constantes que fazemos com pessoas e ambientes, as quais podem gerar desequilíbrio, doenças e distúrbios expressos pelo mau humor. É pela energia que conseguimos diferenciar o senso de humor saudável do patológico pois a manifestação de uma pessoa realmente bem humorada é sempre positiva.

O cultivo do humor sadio gera empatia e vence barreiras, facilitando o auxílio por meio das palavras. A pessoa bem humorada tem uma ferramenta valiosa de assistência que pode ser utilizada para expressão de verdades que levem à reflexão do indivíduo e, posteriormente, até mesmo as necessárias mudanças de padrão de vida. O humor sadio qualifica a atuação do indivíduo em todas as suas tarefas pois predispõe ao fraternismo, facilitando o cumprimento da programação de vida e a felicidade íntima.

 

Rosane Amadori é jornalista e professora do Instituto Internacional de Projeciologia e
Conscienciologia (IIPC), instituição de educação e pesquisa científica, laica, sem fins lucrativos.