DEMOCRACIA E PAZ


 

A Democracia pressupõe a participação de todos os indivíduos nas decisões políticas e sociais. É exercício de liberdade.

O debate e as discordâncias de opiniões são meios necessários para se efetivar a liberdade de expressão e contribuir com o sistema democrático. Então, como a paz social poderá existir se não for possível existir conflitos de ideias, discordâncias e oposições?

Para exercitar a paz é interessante aprender sobre o binômio admiração-discordância, de modo que o ato de discordar de alguém não signifique que este seja um desafeto, e que pela discordância se possa ter nova perspectiva de algo, possibilitando novas hipóteses.

O preconceito, as intolerâncias e a agressividade influenciam a exclusão e marginalização do diferente. Reagir agressivamente, com os ânimos à flor da pele, mostra que a pessoa possui um comportamento potencialmente bélico. Além disso, evitar ouvir os argumentos contrários promove a condição de fechar-se apenas na própria convicção e isso se assemelha a uma postura autocrática e pouco democrática.

A paz pode ser encarada como um meio a ser aprimorado no dia-a-dia através da responsabilidade assistencial e pelo exercício do diálogo. O debate e a mediação, para solução de conflitos, são sempre promissores em um sistema democrático, em detrimento a agressividade e autoritarismo.

A pacificação íntima é uma questão de postura mental e escolha pessoal. A ampliação da liberdade do indivíduo está atrelada à responsabilidade de autopacificação, que remete à condição ativa do indivíduo ser responsável pela própria mudança, para melhor.  A frase “Paz: responsabilidade íntima” remete à esta condição ativa do indivíduo ser responsável pela reciclagem pacificadora dos seus pensamentos, sentimentos e energias (pensenes).

A palestra Democracia e Paz aborda os referidos temas sob a óptica do paradigma consciencial, que admite ser possível à consciência (eu, espírito, id, ego, alma) se manifestar em múltiplas dimensões, através de múltiplos corpos e por várias vidas sucessivas. Como exercitar a liberdade com esta visão mais ampla?

Esta visão ampliada considera que a pessoa renasce em várias vidas físicas e portanto tem muitas oportunidades para se atualizar. Se hoje ela está convicta e fechada em apenas certa opinião, posteriormente pode analisar a situação de uma perspectiva mais ampla e observar que o comportamento do passado não era tão promissor assim. Quando se exercita o debate, fomenta-se a democracia e viabiliza novos aprendizados para  aprimorar as posturas pessoais no processo da evolução.

 

O Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia promove palestras gratuitas todos os sábados no endereço: Rua Padre Marinho 455 – 7° andar. Mais informações pelo (31) 32220056 ou em www.iipc.org.

Ana Luíza de Carvalho Araújo é psicóloga, pesquisadora e voluntária do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC).

 


0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *