Senso Universalista

Segundo a Conscienciologia, o senso universalista é a postura de conciliação e compatibilidade com todos os seres e realidades do Cosmos e com pleno desenvolvimento da fraternidade.
A consciência humana – ou o princípio inteligente que existe em todos nós – desperta o senso universalista necessário ao processo de evolução, de maneira gradativa e irreversível, através da ampliação do mundo pessoal e do entendimento da cidadania do Cosmos, em decorrência da superação do egoísmo ou egocentrismo.

Ao abraçar em definitivo o altruísmo sem nenhum constrangimento, sacrifício pessoal ou dificuldade maior, todas as segregações, estereótipos, rótulos e exigências particularistas do ego perdem a razão de ser para o indivíduo, independente da bagagem cultural, do idioma nativo ou da sociedade em que vive.
A aquisição do senso universalista é um processo onde os interesses universais são colocados antes dos interesses bairristas, provinciais ou do mundinho individual. Há a desistência da competição em qualquer campo ou setor de manifestação, somada a uma visão abrangente capaz de enxergar sempre além dos confins do planeta onde se vive temporariamente.
A ampliação do mundo pessoal através de posturas maduras na convivência sadia, do respeito ao momento evolutivo dos demais indivíduos e da compaixão equilibrada por todos os seres existentes, avança quando deixamos para trás as idéias retrógradas que expressam o egoísmo. Desde o clube fechado de alienação elitista e as doutrinas rígidas até o patriotismo exacerbado e sujeição a dogmas e aos preconceitos raciais.
Os princípios da evolução apontam que todos nós estamos sujeitos à evolução até a nível ainda inconcebível pela humanidade atual. Ao desenvolvermos nossa percepção além dos cinco sentidos físicos (parapsiquismo), abrirmos as portas para a e experimentação de outras dimensões existenciais onde o indivíduo se manifesta depois da morte ou da desativação do corpo físico. Essas dimensões também podem ser conhecidas na vida física através da experiência fora do corpo ou da projeção da consciência.
O senso universalista se amplia enormemente quando a pessoa, através da saída do corpo ou projeção lúcida, acessa outras realidades. É desse modo que adquirimos a visão mais real e universalista da vida, a integração prática com o Cosmos e, sobretudo, o exato entendimento do universalismo, ou da integração com outros seres e outras realidades existentes.
*Carlos José de Oliveira é médico veterinário e professor do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), instituição de educação e pesquisa científica, laica, sem fins lucrativos.